Minha lista de Blogs

sexta-feira, 22 de junho de 2012

O novo presidente do Paraguai

Crise política no Paraguai

Crise política no Paraguai

Novo presidente, Franco diz ter ficado surpreso com impeachment relâmpago de Lugo

Do UOL Notícias, em São Paulo
  • Franco discursa depois de assumir a Presidência do Paraguai Franco discursa depois de assumir a Presidência do Paraguai
O novo presidente do Paraguai, Federico Franco, admitiu nesta sexta-feira (22) sua surpresa com o "rápido" processo de destituição de seu antecessor, Fernando Lugo, em sua primeira entrevista coletiva após a posse.
"O processo foi um pouco rápido para mim e surpreendeu todos os paraguaios", disse Franco na sala Independência da sede de governo, onde empossou alguns dos novos ministros.
Lugo, acusado "de mau desempenho de suas funções, negligência e irresponsabilidade" após a morte de 11 trabalhadores sem-terra e de 6 policiais em um confronto armado na sexta-feira passada, durante a desocupação de uma fazenda, foi destituído ao final de um processo parlamentar que durou pouco mais de 24 horas.
Ele pediu aos líderes vizinhos, em particular os parceiros do Mercosul (Brasil, Argentina e Uruguai), que "entendam" a situação criada em seu país e aceitem que fará "o maior dos esforços para que esta se normalize".
Franco empossou Carmelo Caballero como ministro do Interior e José Félix Estigarribia como chefe das Relações Exteriores, no momento em que Venezuela, Argentina e Bolívia qualificam seu governo de "ilegítimo". Aldo Pastore foi nomeado chefe da Polícia Nacional. Carmelo Caballero será o ministro de Interior.
"O objetivo é deixar clara a mensagem de que o Paraguai tem um norte que orienta sua política externa, assim como a vontade do novo governo de devolver a segurança aos cidadãos", disse Franco, pedindo "paciência" à imprensa sobre os nomes dos demais integrantes do gabinete.
O novo presidente citou a próxima cúpula do Mercosul, que será realizada na Argentina, dando a entender que não participará do encontro, pois "o mais importante é ficar a organizar a casa" e "se for necessário irá o chanceler" paraguaio.
"O mais importante é manter as relações com os países vizinhos", observou. Franco disse que as outras nomeações do novo gabinete serão anunciadas em "pouco tempo".

Novo presidente, Franco diz ter ficado surpreso com impeachment relâmpago de Lugo


 
  • Franco discursa depois de assumir a Presidência do Paraguai
O novo presidente do Paraguai, Federico Franco, admitiu nesta sexta-feira (22) sua surpresa com o "rápido" processo de destituição de seu antecessor, Fernando Lugo, em sua primeira entrevista coletiva após a posse.
"O processo foi um pouco rápido para mim e surpreendeu todos os paraguaios", disse Franco na sala Independência da sede de governo, onde empossou alguns dos novos ministros.
Lugo, acusado "de mau desempenho de suas funções, negligência e irresponsabilidade" após a morte de 11 trabalhadores sem-terra e de 6 policiais em um confronto armado na sexta-feira passada, durante a desocupação de uma fazenda, foi destituído ao final de um processo parlamentar que durou pouco mais de 24 horas.
Ele pediu aos líderes vizinhos, em particular os parceiros do Mercosul (Brasil, Argentina e Uruguai), que "entendam" a situação criada em seu país e aceitem que fará "o maior dos esforços para que esta se normalize".
Franco empossou Carmelo Caballero como ministro do Interior e José Félix Estigarribia como chefe das Relações Exteriores, no momento em que Venezuela, Argentina e Bolívia qualificam seu governo de "ilegítimo". Aldo Pastore foi nomeado chefe da Polícia Nacional. Carmelo Caballero será o ministro de Interior.
"O objetivo é deixar clara a mensagem de que o Paraguai tem um norte que orienta sua política externa, assim como a vontade do novo governo de devolver a segurança aos cidadãos", disse Franco, pedindo "paciência" à imprensa sobre os nomes dos demais integrantes do gabinete.
O novo presidente citou a próxima cúpula do Mercosul, que será realizada na Argentina, dando a entender que não participará do encontro, pois "o mais importante é ficar a organizar a casa" e "se for necessário irá o chanceler" paraguaio.
"O mais importante é manter as relações com os países vizinhos", observou. Franco disse que as outras nomeações do novo gabinete serão anunciadas em "pouco tempo".